1a Mostra de Cinema Haitiano no Brasil

Centro Cultural Banco do Brasil e People’s Palace Projects do Brasil promovem a Primeira Mostra de Cinema Haitiano no país entre 18 a 26 de maio de 2024, no CCBB do Rio de Janeiro.

Resistência e Transformação

A mostra

A 1a Mostra de Cinema Haitiano no Brasil, no CCBB Rio, vai oferecer ao público uma oportunidade única de assistir a seis  produções de cineastas do Haiti e do Brasil entre longas, curtas, documentários e animação. Na programação, os filmes Freda, Barikad, Terremoto e Chache Lavi  revisitam o conturbado passado do país, o terremoto de 2010 que matou 300 mil haitianos e trouxe milhares ao Brasil, mas também projetam a possibilidade de um futuro esperançoso e a presente dúvida sobre imigrar ou resistir para sobreviver no Haiti. 

O festival acontece em um momento em que o pequeno e populoso país caribenho se encontra mais uma vez mergulhado em uma profunda crise política com domínio e ameaça de violentas gangues armadas. 

Com curadoria dos haitianos Richemond Dacillien e Ismane Desrosier, que vivem no Brasil, a mostra espera levar à reflexão do público sobre o esquecido país e sobre a presença de 161 mil haitianos no Brasil que tentam se integrar à nossa realidade, enfrentando o racismo e a discriminação.

"O Haiti, a primeira república negra independente do mundo, está passando por uma crise sem precedentes há várias décadas resultando na migração de grande parte de sua população em busca de uma vida melhor, sendo milhares para o Brasil. Por isso, é importante criar mais espaço para um intercâmbio cultural entre esses dois povos, oferecendo ao público brasileiro alguns dos melhores filmes da indústria cinematográfica haitiana que, apesar da situação catastrófica do país, continuam entre os melhores filmes já produzidos na região do Caribe.”

Richemond Dacillien, curador da mostra

Cha Che Lavi - divulgação

Sinopses dos Filmes

FREDA | Direção Gessica Généus | 74 min | Drama, longa-metragem

“Freda” é um olhar profundo sobre o futuro do Haiti. Nesse longa-metragem, a jovem cineasta haitiana apresenta imagens de Porto Príncipe que diferem dos desastres naturais retratados pela mídia internacional. Géneus celebra a juventude haitiana com um retrato feminino complexo. Ele conta a história de uma jovem, Freda, que vive com a mãe e a irmã em um bairro da classe trabalhadora de Porto Príncipe (Lalue). Diante dos desafios da vida cotidiana no Haiti, cada uma delas se pergunta se deve fugir ou ficar. Freda, o nome de uma divindade nascida da opulência e da sexualidade e a personagem principal do filme, quer mais do que tudo acreditar no futuro de seu país

 

BARIKAD | Direção Richard Senecal | 2001  | 111 min | Drama, longa-metragem

Um dos dramas mais populares do Haiti nos últimos anos, Barikad combina sentimentos de amor e preconceito de classe. As barreiras mais intransponíveis não são aquelas que colocamos em nosso caminho, mas aquelas que impomos a nós mesmos por meio de nossos preconceitos, nossa intolerância, nosso desprezo pelos outros e nossa baixa (ou muito baixa) autoestima.

 

COUSINES | Direção Richard Senecal | 2006  | 106 min | Drama, longa-metragem

“Cousine”, é um olhar cativante sobre as tentações e escolhas que algumas pessoas têm de fazer para sobreviver no Haiti. O filme acompanha a vida de Jessica, uma jovem haitiana cuja vida tranquila em Porto Príncipe é virada de cabeça para baixo pela morte repentina de seu pai.  Sem ele para pagar as contas, ela logo se vê nas ruas. Mas ela é acolhida por sua amiga Johanne, uma mulher que vive uma vida de luxo graças à “generosidade” de seus muitos amantes. A história se passa nas paisagens exuberantes do Haiti.

 

TERREMOTO | Direção Gabriel Martins | 2022  |26min | Documentário

Em 2010 o Haiti sofreu com um terremoto de grande magnitude que deixou mais de 300 mil mortos. Dentre as vítimas estava a família de Nicolson e Niky Augustin, dois jovens haitianos. Tentando se reerguer nos anos seguintes, a família dos garotos não viu saída a não ser se mudar para o Brasil, mais especificamente a periferia de Contagem, Minas Gerais. Ali, sem saber falar o idioma, eles tiveram que se adaptar a uma nova realidade e educar seus filhos.

 

CHA CHE LAVI | Direção Clementino Junior | 2023  |29 min | Documentário

Segundo o ACNUR, em torno de 161.000 haitianos moram no Brasil, a maioria chegou desde o terremoto que o Haiti sofreu em 2010. O documentário realizado por Clementino Jr. como parte do projeto de pesquisa MIDEQ, investiga os desafios enfrentados pelos migrantes no Brasil, além de seus sonhos.

 

A BATIDA NÃO PARA | Direção PositivesNegatives| 2023 | 6 min | Animação

O filme conta a história de um migrante haitiano no Brasil que luta por seus direitos de trabalhar, comprar uma casa e, o mais importante, se reunir com sua família haitiana. Esta animação foi realizada como parte do projeto MIDEQ para refletir as dificuldades dos haitianos migrantes no Brasil. Disponível em português e crioulo haitiano.

Terremoto- divulgação

Programação da Mostra no CCBB Rio

Performances

Além da exibição de filmes, a mostra contará também com bate-papo entre diretores e artistas haitianos e apresentações gratuitas do grupo Clamor! no saguão do CCB, uma performance itinerante de dança, canto, percussão e artes circenses com cerca de 20 migrantes do Haiti, países africanos e de artistas afro-descendentes brasileiros.

A mostra é desdobramento de um projeto de pesquisa internacional da qual os curadores trabalharam como pesquisadores seniores – o MIDEQ – sobre migração entre os países do hemisfério sul que estuda seis rotas migratórias, entre elas  Haiti e Brasil.

Em outubro do ano passado, o centro de arte e pesquisa para justiça social, People’s Palace Projects, facilitadora da pesquisa no Brasil e a Uniperiferias produziram o Diálogos – Mudando Narrativas sobre Migração no Museum do Amanhã, fortalecendo o debate sobre racismo e inclusão no Brasil entre a sociedade civil, migrantes caribenhos e africanos e governo federal. Os migrantes nos oferecem a oportunidade de uma rica e diversa troca cultural.